Loading...

domingo, 17 de maio de 2009

Ronda report...

Há aproximadamente um ano, depois de finalizar o Ironcat (objectivo a que me tinha proposto cerca de dois anos antes) disse que correr 100km era mais difícil do que fazer um Ironman e que eu nunca na vida iria fazer tal “loucura”, mas a verdade é que durante o tempo que se seguiu, transformei essa ideia no objectivo desportivo do ano de 2009, sempre com achando que se conseguisse estar na partida, tudo seria possível… Foi assim que nestes últimos três meses fui treinando (sempre menos do que o considerado ideal, mas adaptando o treino, nomeadamente com a inclusão de um treino longo ao fim de semana, maior do que alguma vez tinha feito) 50 a 60 km/semana de corrida complementados com alguns treinos de BTT.

Ontem pelas 11horas da manhã, com a saída acabei por fazer o mais difícil (estar na partida), a partir daí era ver no que dava… Para começar o principal adversário foi… o calor, dos 21ºC previstos, cedo se viu que iria ser um dia de 27ºC-28ºC, por isso comecei com calma tentando não passar das 130ppm. Com esta táctica cheguei aos 30km com 2h53´ e iniciei a primeira das longas subidas, caminhando até aos 35km, quando cheguei ao posto de abastecimento, ia bastante esgotado (inclusive com dor de burro e tinha passado os últimos 5km a andar!) hidratei-me o melhor que pude e pelo sim pelo não tomei 400mg de ibuprofeno. A partir de aqui foi caminhar nas subidas e trotar nas rectas e descidas, bebendo tudo o que apanhava pela frente. Aos 65km, outra aflição, o abastecimento esperado demorava em aparecer, de tal forma que comecei a ver a coisa mal parada, pedindo água por duas vezes a companheiros de fadiga, um dos quais português que corria pela Açoreana. Menos mal que em Setenil a minha mulher e o meu filho estavam numa esplanada (que me entregaram uma luz frontal para a noite, comprada já durante o decorrer da prova!...) e lá emborquei um Icetea e uma garrafa de água, o que me permitiu chegar já quase recomposto ao tão esperado posto de abastecimento, onde tomei mais 400mg de ibuprofeno e iniciar mais uma dura subida, à qual se seguiu uma mais dura descida e onde tive o primeiro susto, uma caimbra na perna direita, que fez com que a maior parte da descida fosse feita também a andar em vez de a correr!

Apesar do desgaste e da fadiga acabei por chegar ao km77, ao quartel da legião, onde para alem do abastecimento, tinha uma mochila com roupa para enfrentar o frio da noite, no entanto ao olhar para o cronometro, verifiquei que ainda ia dentro das 8horas de prova, pelo que disse a mim mesmo que 25km seriam no máximo 2h – 2h30´ (grande erro!..) pelo que nem fui à procura da mochila, bebi uma coca-cola, comi uma banana e “ala que se faz tarde” atacando outra subida duríssima, à qual se seguiu mais uma descida que foi feita a muito custo tal era a inclinação.

Quando parecia que o mais difícil estava feito, cheguei ao km 90 e de repente caimbras em ambas as pernas e pânico… parei, alonguei, caminhei… parei, alonguei, caminhei… e assim sucessivamente até ao abastecimento do km 95, onde para além de bananas pedi na ambulância mais 600mg de ibuprofeno (as moças só me queriam dar um comprimido, mas lá as convenci a darem-me mais meio comprimido :)) e preparei-me mentalmente para trotar os 3km que antecediam a ultima subida de apenas 1km, mas de muita inclinação.

Quando finalmente cheguei lá acima e me preparava para correr o último km, fracturei o dedo do pé!... não, afinal foi apenas uma bolha que rebentou, mas garanto-vos que a sensação que me deu foi a de que se tinha partido o dedo! Depois de dizer a mim mesmo que agora já não havia dor que me impedisse de chegar, começo um sprint para a meta ao qual o meu filho se juntou (com bastante facilidade…) e passámos a meta juntos.

Depois de terminar houve tempo para comer um prato de macarrão e uma coca-cola, oferecidos pela organização, ir à tenda dos “podologos” cuidar dos pés (as bolhas são até esta hora a minha principal mazela) e depois à tenda dos fisioterapeutas levar uma massagem (onde o professor que orientava os estudantes que davam apoio aos atletas, se ocupou de mim pessoalmente e confirmou o que eu já suspeitava: “eres um tio muy fuerte” (leia-se, gordo) e “el tuyo tiene duplo mérito” (leia-se, dedica-te a outra coisa).

Bem, para terminar agradecer à minha família pelo apoio que me deu, sem a Elsa de certeza que não podia escrever esta crónica e dizer que apesar de não ter vontade de repetir, foi uma experiência interessante e permitiu verificar que os nossos limites estão mais para além do que nós imaginamos.

Aconselho a todos os que tiverem vontade de experimentar, que esta prova não é apenas uma ultra maratona, é também uma prova de montanha (penso que se pode considerar assim), mais do que capacidade para correr, há que ter uma grande resistência muscular (o que infelizmente não é o meu caso).

Quanto à classificação, 30º na categoria Marcha Civil VET com o tempo de 12h14´10´´.

Aqui fica a video reportagem!



Às 11 da manhã...





12 horas depois...


11 comentários:

ns disse...

Fazes jus ao lema da Nike: No Limits!

És o maior!

joaquim adelino disse...

Amigo Pedro.
Foi preciso ter muita coragem para fazer aquilo. Apesar de doloroso deve ser apaixonante estar ali.
Tem que se ter uma mentalização muito forte para suportar uma prova tão dura, como disse, os treinos apesar de insuficientes na hora da verdade temos de ultrapassar todos os problemas e os próprios limites a que julgamos nunca alcançar.
Tem razões para se sentir orgulhoso deste feito ao alcance de poucos.
Um abraço e recupere bem antes de se meter noutra. Parabéns para a Famílía (esposa que se ouve bem no vídeo) e o filhote que soube ir esperá-lo, emociona.

pablo73 disse...

tu si que eres un campeón¡¡¡

Fernando Carmo disse...

Estou sem palavras!

Ainda que bem vistas as coisas, isto não seja mais do que a Corrida das Fogueiras... com 2 Maratonas de Aquecimento!

Fónix!!! Fiquei de rastos só de ler o relato...
Parabéns!

Elsa disse...

Ao lema da Nike e ao da Adidas “Impossible is Nothing”, desde a 1ª maratona já só te esperamos à chegada. Beijinhos Grandes

Paulo Renato Santos disse...

Bolas... só de ler o relato fico de rastos!
São provas para super-homens e tu conseguiste. Muitos parabéns!
P. Renato

bs disse...

Querer é poder!!!
Tu quizeste,...conseguites,
és um campeão!!!
Os meus parabéns para ti e à tua equipa técnica que terá tido um papel preponderante no exito neste teu desafio aos 101 Km da Ronda.
Estou feliz e orgulhoso pela tua garra e perseverança!!!

Um forte abraço do pai
braz sebastião

Anónimo disse...

Parabéns Peter

Nunca duvidei que chegasses ao fim, mas com este tempo e assim com aquele sorriso é surpreendente.
Estás no auge e já és o rei de vale de moinhos.
Um abraço e boa recuperação. Para o ano fazes-me uma visita guiada até Ronda.

Pedro

Anónimo disse...

ola pedro

É sempre importante não desistir dos nossos sonhos e objectivos.
Continua a lutar, e a mostar quem são realmente os portugas
MUITOS PARABÉNS.

Rita Gomes disse...

Grande Pedro!
Muitos parabéns...grande esforço e desafio superado.
Diz á Elsa que que os videos estão muito bem..

Beijinhos grandes,
Rita

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,