Loading...

domingo, 6 de dezembro de 2009

Maratona de Lisboa 2009

Boas,

Isto das maratonas tem que se lhe diga, depois de uma preparação sem contrariedades, a confiança não andava alta nas últimas semanas, para a maratona de Lisboa, mas a provar que é preciso descansar, hoje desde o início, os 4´30´´/km pareceram fáceis (demasiado fáceis até…) no entanto as contracturas que não apareceram na preparação, deram um ar da sua graça, aos 23km (que resolvi, acho … com 400mg de ibuprofeno) e aos 36km, aí tive que sentar-me no chão e abanar/massajar o gémeo durante um bocado, mas já não deu mais do que ir arrastando-me a 5 – 5´30´´/km, fresquinho de caixa, mas a mancar, curiosamente os últimos kms foram a subir, pelo que não perdi muitos lugares (pois a malta já ia muito rota!).

Apesar da grande frustração neste período de tempo, a esta hora já assimilei que nem tudo foi mau, posso dizer que cumpri os dois objectivos principais, terminar e baixar das 2h20´, o terceiro seria baixar das 3h15´ (que durante muito tempo me pareceu possível, pois quer aos 25km quer aos 30km o muro não apareceu e as terríveis dores no corpo todo que me atacaram nos dois últimos anos no Porto estiveram ausentes) o que neste percurso não é nada mau.

Tenho de agradecer ao meu irmão e ao Pedro Carvalho, que me ajudaram durante grande parte da prova, o meu irmão depois de correr uma milha ontem à noite lá correu 10km comigo e para azar aleijou-se num joelho (espero que não seja nada demais e que recupere rápido) o coitado do Pedro que esteve para do 10 dias a recuperar de uma intervenção cirúrgica, vinha para fazer 10km, acabou com quase quarenta!... se não fosse ele aqueles kms finais… não sei não… Para além disso tive também o gosto de fazer grande parte da prova com um companheiro do Porto que tinha corrido a maratona do Porto e de seguida teve gripe A!.. que espero tenha terminado bem e dois srs maratonistas, o António Melo (que fazia a sua 51ª maratona!!!) e um colega seu da equipa do Millenium, que infelizmente não retive o nome.



Quanto à organização e ao percurso, esperava mais, o percurso não foi tão difícil como se falava, mas é duro e não é assim tão bonito (creio que a grande maioria dos estrangeiros que cá esteve não vai voltar) e depois que eu visse não houve nenhuma animação ao longo da prova que ajudasse “ a empreitada atlética”, aqui uma palavra de apreço aos nuestros hermanos que ao longo da prova forma animando tudo e todos!

Por último, apesar de há algum tempo ter deixado aqui um alerta contra a utilização do ibuprofeno, no meu caso pessoal, nunca mais faço nenhuma maratona sem levar no “bornel” pelo menos 800mg, porque apesar de poder ter alguns efeitos nocivos, treinar o que eu treinei e correr durante quase 3horas ao ritmo que eu corri e depois o resto do tempo em sofrimento, à saúde não faz bem nenhum!

RESULTADOS PROVISORIOS

Resumo da semana:

Segunda: 30´ cc.
Terça: 50´cc + 4 rectas.
Quarta: 20´cc + 8 x 400m (p: 90´´) + 5´cc.
Quinta: M: Golfe (18 buracos) T: Karts (50´ de adrenalina!)
Sexta: 40´cc + 4 rectas.
Sábado: descanso
Domingo: Maratona de Lisboa (3h 19´50´´). 166º classificado em 1152 chegados.

3 comentários:

RuiRuim disse...

Bom tempo!
Parabens

Anónimo disse...

Boas.....

Parabéns pela prova!!
E obrigado pela companhia que tornaram bem mais agradáveis as subidas e descidas dos primeiros kmts. Tive de baixar para um ritmo que me fosse mais confortável, consegui sobreviver aos kmts finais que eu não esperava que fossem tão duros, e acabei com uns razoáveis 3.30.

Volto hoje para a Invicta e devo voltar em Abril para mais uma maratona, desta vez espero maisem forma.

@braço
Nelson Valente

joaquim adelino disse...

Que prova amigo Pedro.
Nem deu para te pôr os olhos em cima, as reservas acumoladas deram bom resultado e quer se queira quer não a dureza da prova não ajuda nada a obter boas marcas. Daí a marca que conseguiste tem muito valor.
A rapaziada que esteve comigo no Porto desta vez ficaram quase todos a mais de 15m das suas marcas de então, por isso valorizo também e muito aqueles que se aproximaram das suas melhores marcas.
Parabéns também para o Nuno pela solidariedade e disponibilidade em te acompanhar numa fase já bem difícil da prova. E também aos outros pois é nesta altura que mais valorizamos a grande entreajuda que expontâneamente se forma em torno de objectivos que visam por vezes a própria superação humana, ainda que devidamente controlada.
O elogio aos espanhóis é merecido, foram espectaculares.
Abraço.